sábado, 9 de junho de 2018

CONHECENDO A TERRA DO SOL NASCENTE - JAPÃO


Jardins do Palácio Imperial

Temos uma grande amiga descendente de japoneses e que sempre viaja conosco e já algum tempo vínhamos conversando a respeito de irmos conhecer o Japão. Ela já havia visitado aquele país em outras oportunidades, mas nós não. Em nossos encontros semanais, estamos sempre comentando onde queremos ir nas nossas próximas viagens e o assunto girou entre Japão e Alaska. Havíamos visto um cruzeiro saindo de Seattle até o Alaska e outro saindo de Tokyo. O primeiro seria de 7 dias e o segundo de 21 dias. A segunda opção foi a nossa escolha.  
Casa da guarda Palácio Imperial
Planejamento: Sempre começamos nosso planejamento de viagens, lendo vários blogs com as principais dicas sobre nosso destino. Consultando alguns sites, resolvemos, então, fazer um cruzeiro pela Norwegian Cruise Line, principalmente, pelo melhor custo benefício. Passamos nossos dados ao nosso agente de viagens, Paulo da A&T Turismo, que nos assessora já a algum tempo. Além dele fazer as reservas do navio, cotou as passagens aéreas, o aluguel do carro em Seattle e o nosso seguro saúde. A companhia aérea escolhida foi a Turkish Airlines com escala em Istambul. Como parte do planejamento, fizemos algumas reuniões com amigos, que haviam passado uns dias no Japão para conversamos sobre hotéis, metrô, moeda local, comidas e passeios. 
Documentação: Passaporte com validade mínima de seis meses e visto americano válido. Além do visto americano, tivemos que providenciar o visto japonês, veja dicas no site da Embaixada do Japão. Como o visto só tem validade por 90 dias, tem que ser tirado bem em cima do dia da viagem, mas foi bem tranquilo. Devem ser preenchidos alguns formulários na internet e comparecer pessoalmente à Embaixada, em horário comercial, com passaporte válido, fotos recentes, documentação pessoal, comprovantes de renda e o roteiro da viagem. O valor é de cerca de R$ 171 para múltiplas entradas e de R$ 86,00 para uma entrada. Após a conferência da papelada, a funcionária marcou a data para retirada do visto, cerca de 5 dias úteis. É importante lembrar que pela lei japonesa qualquer policial pode te pedir o passaporte e visto na rua por qualquer motivo, então é sempre bom  estar de posse dos seus documentos. Como sempre fizemos, ainda, o seguro saúde, obrigatório para quem quer viajar sem preocupações. 
Fachada do Hotel Narita Tobu Airport
Hospedagem: Após consultar algumas opções de hospedagens nos sites TrivagoHotéis.com e Booking.com, fizemos as reservas dos hotéis de  Tóquio e de Seattle, esta última um destino bem caro. Nossa principal preocupação foi com a segurança nos arredores dos hotéis, bem como com algumas comodidades como café da manhã incluso, Wifi e estacionamentos grátis. Um cuidado extra no Japão é com relação ao tamanho da cama, porque na maioria dos hotéis, nos quartos de casais colocam apenas camas de solteirão, bem pequena para nossos padrões.
Transportes: Nem chegamos a cogitar em dirigir em Tokyo, devido principalmente a dificuldade de adaptação com a mão inglesa e as placas de sinalização. A cidade possui um excelente sistema de metrô. Ao contrário de Tokyo, Seattle é desprovida de metrô e o aluguel de um carro facilitaria muito nosso deslocamento. A reserva foi feita na empresa Hertz, devido não só ao bom preço, mas também à qualidade dos automóveis. Para evitar aborrecimentos, nós gostamos de fazer um seguro total com um motorista adicional. Como o Porto de Seattle fica bem em downtown, optamos por retirar nosso carro ali e devolver no aeroporto. Dava até para ir a pé, mas resolvemos tomar um táxi.
Clima: Visitando o site do Climatempo, verificamos que a  temperatura ficaria em torno de 1 a 20 graus, um pouco frio para os padrões brasileiros. Como iríamos para lugares bem gelados, levamos roupas apropriadas compradas anteriormente nos Estados Unidos, usadas como uma segunda pele. E muitos casacos, gorros, luvas e cachecóis. Uma preocupação era com o peso das malas, que passaram a ser apenas 2 peças de 23 Kg para cada passageiro ou o equivalente a 50 libras. Como ficaríamos 30 dias viajando, a decisão do que levar foi tensa, roupas práticas, facilmente laváveis e que combinassem entre si.     
Moeda: No Japão, a moeda corrente é o Iene ou Yen. Como ficaríamos apenas 5 dias por lá, levamos o equivalente a 100 dólares americanos por dia para lanches e pequenas compras. No Alaska utiliza-se o Dólar americano. Cartões de crédito são aceitos em todos os lugares sem problema, com exceção de pequenas lojas, tanto no Japão como no Alaska, que só aceitam a moeda local.
Cuidados necessários: o principal item é um tênis confortável e uma boa máquina fotográfica para garantir fotos imperdíveis. Além de muita disposição para caminhar e admirar as belas paisagens.
Entrada do Santuário Meiji Jingu
O mais difícil da viagem foi escolher o que fazer em Tokyo, já que as atrações turísticas são tantas e muito diversificadas: não poderíamos deixar de visitar Mercado Tsukiji considerado um dos maiores mercados de peixe do mundo. Compradores de diversos restaurantes chegam as 5 da manhã para participar do leilão de peixes, que vem de várias partes do mundo. O leilão é aberto aos primeiros turistas que chegarem na fila. Outro ponto turístico é o Santuário Meiji Jingu, localizado no parque Yoyogi, famoso pelos casamentos aos domingos. Ali perto, a Takeshita Street chama a atenção dos visitantes pela quantidade de cosplay, jovens vestidos como nos desenhos animados. Outro passeio imperdível é visitar os jardins do Palácio Imperial, em alguns sites não nos aconselharam a fazer a visita guiada, por ser muito demorada. Passear por Shibuya, conhecida como a Times Square de Tókyo e o mais famoso cruzamento do mundo e claro, tirar fotos da estátua de Hachiko, o cão do filme "Sempre ao Seu Lado" com Richard Gere.  A visita ao Templo Senso-Ji em Asakusa é obrigatória. A Tokyo SkyTree também merece uma visita. Por absoluta falta de tempo, não incluímos a Disneylândia de Tokyo.
A seguir o relato de nossas aventuras: 
1 dia - Saímos de Brasília num domingo rumo a São Paulo às 18:55 hs. Ao chegarmos em São Paulo, seguimos direto para a área do embarque internacional, fomos orientados a seguir para a área externa do aeroporto e tomar um ônibus grátis para o Terminal 3. Após o check in na empresa Turkish Airlines, seguimos rapidamente para passar pela segurança porque estava bem congestionado e depois ficamos aguardando o nosso vôo por cerca de 5 horas, mas a expectativa era tanta que não ficamos cansados.   
2 dia - Saímos para Istambul às 03:15 da manhã. O voo da Turkish Airlines foi espetacular, aeromoças atenciosas, bom espaço entre as poltronas e bons filmes para assistir (já que eu não consigo dormir quase nada em viagens longas). Chegamos a Istambul às 21:50 hs . O total da viagem foi de 12 horas e 35 minutos. Ainda bem que pudemos descansar um pouco entre um voo e o outro.
Takeshita Street
3 dia - De volta ao avião para a segunda etapa da viagem, saímos às 01:40 da manhã com destino a Tokyo. Chegamos em Tokyo às 19:30 hs (11 horas e 30 minutos de viagem). O voo, assim como o anterior, foi excelente. Passamos pela imigração e pegamos as malas, tudo bem tranquilo e fomos pedir informações em um balcão no aeroporto sobre o traslado para o nosso hotel. Felizmente, falavam inglês e nos orientaram direitinho. Na pista externa há algumas placas com o nome dos hotéis e o horário de cada ônibus, bem explicativo. Após uns 20 minutos, chegou o ônibus e seguimos, finalmente,  para o Narita Tobu Hotel, escolhido exatamente pela facilidade do  traslado grátis. Hotel bem agradável, com boas acomodações e um excelente café da manhã e a poucos minutos do aeroporto. O único cuidado que se dever ter é para não chegar após às 23 horas, porque é o último horário do ônibus para o hotel, depois tem que tomar um Uber ou táxi. Chegamos no hotel e fomos tomar o primeiro chopp da viagem, chamado Asahi, muito bom.
Prato tradicional do Japão
4 dia - Após o café da manhã, pegamos o traslado para o aeroporto e fomos pegar o aparelho de wifi, reservado desde o Brasil, pagamos cerca de R$ 300,00 pelos 11 dias, somente para uso no Japão, devendo ser devolvido no aeroporto ou em alguma caixa de correio. Já foi entregue com um envelope selado para esse fim. Com a internet funcionando, fomos comprar o tíquete do Skyline Train one Way com destino final em Ueno, adquirimos junto com o passe do metrô para 72 horas por 17.500 ienes ou cerca de R$ 600,00 para 5 pessoas (só aceitam iene). A atendente falava um pouco de espanhol, o que facilitou nosso entendimento. A passagem tem hora e lugar marcados. A estação fica localizada no subsolo do próprio aeroporto. Tivemos poucos minutos para descer as escadas com as malas e tomar nosso trem rumo a Tókio, distante uns 40 minutos dali. Em Ueno tivemos que trocar para o metrô local e finalmente descer em Nihombashi, a estação mais perto do nosso hotel. Resolvemos pagar a passagem (170 ienes por pessoa ou cerca de R$ 6 reais), para não começarmos a utilizar o nosso passe de metrô, que começa a contar 72 horas a partir do primeiro uso. Como nosso hotel ficava um pouco distante, cerca de 8 quarteirões, fomos empurrando as  malas. Isso nos pareceu bem normal por lá. Cuidado apenas para não levar muitas malas, porque empurrá-las nas estações de metrô, subindo e descendo escadas pode ser um transtorno. Chegamos ao Hotel Villa Fontaine Nihombashi e após o check in fomos explorar os arredores, almoçamos e fomos conhecer os jardins do Palácio Imperial (cerca de 30 minutos a pé do nosso hotel, abre de 9 às 16 hs, com entrada grátis). Local muito bonito. Como estávamos muito cansados, retornamos ao hotel e não saímos nem para o jantar.

TsuKiji Fish Market
5 dia - Nos primeiros dias, devido ao fuso horário, acordamos sempre de madrugada e não conseguíamos mais dormir. Fizemos uma pequena programação para não ficarmos perdidos. Resolvemos começar com um city tour para ter uma ideia da cidade como um todo. Após o café, fomos a Tokyo SkyTree de onde saem os ônibus para o City Tour de dia inteiro. O preço é de 33 dólares por pessoa, pagos apenas em dólares ou ienes, não aceitam cartão. O passeio deixou um pouco a desejar, desinteressante,  descemos apenas no Tsukiji Fish Market (abre de 04 às 11 hs da manha, exceto domingo) para o almoço, visitamos um templo e o Teatro Kabuki-za em Ginza,  onde as peças kabuki são apresentadas, podendo assistir uma peça inteira ou só um ato. Acho que teríamos aproveitado melhor o tempo se tivéssemos feito os outros passeios que havíamos programado.   
Lojas de Eletrônicos em Akihabara

6 dia - Após o café, fomos visitar a Tokyo SkyTree, mas era preciso ter comprado ingresso no dia anterior para subir e desistimos porque não teríamos mais tempo de voltar ali. Seguimos então para Akihabara, o famoso bairro dos eletrônicos e visitamos algumas lojas e um templo ali por perto. Voltamos ao hotel e fomos jantar em um típico restaurante japonês.
Templo Senso-Ji em Asakusa
7 dia - Após o café,  fomos conhecer o maior cruzamento do mundo em Shibuya e claro, tirar uma foto com o cachorro mais famoso do Japão, Hachiko, cuja estátua está em frente à estação Shibuya. Seguimos a pé para o santuário Meiji Jingu, (abre de 6:30 as 16:30 hs, com entrada grátis) que é dedicado ao Imperador Meiji e sua esposa. Local muito bonito e interessante. Ali bem ao lado está a Takeshita Street, uma rua com várias lojas mais populares, completamente lotadas, sem condições de locomoção. Entramos em uma loja Daiso, que vendem produtos por cerca de 1 dólar. Bom para lembrancinhas. Resolvemos seguir para Asakusa, onde almoçamos. Ali tem um dos templos mais famosos de Tokyo, o Senso-Ji, ao lado existe o Asakusa Nakamise, um grande shopping a céu aberto, com lojinhas de souvenirs e de comidinhas típicas. Apesar de bem turístico, é um bom lugar para comprar lembrancinhas.Voltamos para o hotel e fomos jantar por perto. Tivemos que aprender a manusear uma máquina para fazer o pedido de comida, existem fotos dos pratos e os preços em ienes, após o pedido é só colocar o dinheiro ou o cartão de crédito e aguardar cerca de 15 minutos que o seu prato é servido. Como tivemos dificuldades para entender todo o mecanismo, uma atenciosa atendente veio nos auxiliar e deu tudo certo.
Park Yamashita em Yokohama
8 dia - Nosso passeio por Tókio chegou ao fim, e logo após o café, fizemos o check out e chamamos um Uber para nos levar para Yokohama (porto de Tokyo) para embarcarmos no cruzeiro para o Alaska. O preço foi de R$ 600,00 para cinco pessoas e cinco malas. Motorista super cortês, nos deixou em frente ao nosso navio. 
Aguarde o novo post da nossa viagem do cruzeiro do Japão ao Alaska.


Obs: todas as fotos são de autoria própria

Nenhum comentário:

Postar um comentário